Utilizar filtro de ar em casa protege o desenvolvimento do cérebro das crianças



Ter um filtro de ar em casa pode ajudar a reduzir os impactos da poluição do ar nas crianças, mais especificamente no seu desenvolvimento cognitivo. É o que indica um novo estudo internacional, que reuniu investigadores dos Estados Unidos, do Canadá e da Mongólia.

A poluição do ar é um fator que afeta pessoas em todo o mundo, levando ao desenvolvimento de doenças, à morte e até à redução da esperança média de vida dos próprios países. Como tal, têm sido tomadas medidas a nível global para reduzir o nível de emissões poluentes, que são maioritariamente provocadas pelo Homem.

No decorrer da investigação, 540 mulheres grávidas em Ulaanbaatar, na Mongólia, não fumadoras, foram divididas em dois grupos. Um dos grupos manteve a sua rotina normal, mas o outro teve de utilizar dois filtros HEPA (Detenção Altamente Eficaz de Partículas) em casa, durante toda a gravidez. Assim que os bebés nasceram, os filtros foram removidos. Mais tarde, aos quatro anos de idade, a equipa mediu o Quociente de Inteligência da Escala Completa das crianças.

Os dados observados demonstraram vários benefícios em utilizar esta ferramenta. As crianças cujas mães utilizaram os filtros de ar durante a gravidez tinham um Quociente de Inteligência médio 2,8 pontos acima do das crianças do outro grupo, e tinham também uma melhor compreensão verbal.

“Estes resultados, combinados com evidências de estudos anteriores, implicam fortemente a poluição do ar como uma ameaça ao desenvolvimento do cérebro”, explica Ryan Allen, autor do estudo e professor da Faculdade de Ciências da Saúde da Universidade de Simon Fraser, no Canadá. “A poluição do ar está em toda parte e está a impedir as crianças de atingir todo o seu potencial. Os filtros de ar podem garantir alguma proteção, mas em última instância, a única maneira de proteger todas as crianças é reduzindo as emissões”, sugere.



Notícias relacionadas

Comentários estão fechados.