Vida moderna está a provocar demência mais cedo que o habitual

Os estilos de vida modernos estão a fazer com que a demência se desenvolva mais cedo do que nunca. Os especialistas descobriram que cada vez mais pessoas estão a sofrer de perda de saúde mental por culpa dos equipamentos electrónicos, produtos químicos e poluição aérea.

O estudo conduzido pela Universidade de Bournemouth, em Inglaterra, descobriu que as mortes associadas a doenças neurológicas em pessoas abaixo dos 74 anos aumentaram em todos os 16 países abrangidos pela análise.

Colin Pritchard, que liderou a investigação, disse: “O aumento não pode ser genético, porque o período é muito curto”. Assim, as principais razões apontadas para o recorde histórico são a tecnologia, os aditivos alimentares e a poluição.

Os Estados Unidos estão no topo da lista dos países ocidentais com maior aumento de todas as mortes por causa neurológica, entre 1979 e 2010. O Reino Unido registou o quarto maior aumento, de acordo com as estatísticas da Organização Mundial de Saúde, com a mortalidade nos homens a subir até 32% e nas mulheres 48% – o que representa um aumento de 4.500 para 6.500 mortes.

Neste cenário, há uma “epidemia oculta” de mortes em adultos com 74 anos, em especial no Reino Unido, de acordo com o estudo publicado no Public Health Journal.

O total de mortes neurológicas em homens e mulheres aumentou significativamente nos 16 países, o que contrasta com as reduções no número de mortes por outras causas. Este tipo de mortes entre as mulheres, em especial, cresceu mais rapidamente na maioria dos países.

Segundo Pritchard, estas estatísticas são sobre “pessoas e famílias reais e precisamos reconhecer que há uma ‘epidemia’ que é claramente influenciada pelas mudanças ambientais e sociais”.

Deixar uma resposta