Whole Foods deixa de vender lagostas para salvar baleias em perigo



A Whole Foods decidiu deixar de vender lagostas do Maine nas suas lojas. A retalhista americana disse que a decisão veio na sequência de um movimento de várias organizações de sustentabilidade no sentido de impedir o apoio à indústria pesqueira de lagosta dos EUA.

Segundo o “The Guardian”, as organizações que iniciaram as conversações foram o Maine Stewardship Council e a Seafood Watch. Ambas citaram preocupações sobre os riscos para as raras Baleia-franca-do-atlântico-norte provenientes das artes de pesca utilizadas para capturar lagostas, o que constitui a maior ameaça para as baleias.

“Com menos de 340 baleias-francas-do-atlântico-norte, a espécie está a caminhar para a extinção, a menos que as coisas mudem”, disse Virginia Carter, uma associada da Save America’s Wildlife Campaign com o Environment America Research and Policy Center.

Em comunicado, a Whole Foods afirmou que está actualmente a acompanhar a situação e sublinhou que irá monitorizar o feedback de grupos de defesa e ambiental para tomar decisões informadas.

Em setembro, foi elaborado um guia de sustentabilidade dos peixes com uma “lista vermelha” de lagostas como frutos do mar a evitar. No entanto, a decisão da retalhista atraiu alguma oposição dos funcionários governamentais da indústria pesqueira. No Maine, lar da maior indústria pesqueira de lagosta, os responsáveis políticos manifestaram o seu descontentamento com os desenvolvimentos.

“Estamos dececionados com a decisão da Whole Foods e profundamente frustrados pelo facto de a suspensão do certificado de sustentabilidade da indústria da lagosta pelo Marine Stewardship Council continuar a prejudicar os meios de subsistência de homens e mulheres trabalhadores em toda a costa do Maine”, disse a Governadora do Estado Janet Mills, citada pelo jornal, sublinhando que a decisão do grupo ambientalista não se baseou em factos.

“Apesar disto, o Marine Stewardship Council, com os retalhistas a seguirem o exemplo, decidiu, errada e cegamente, seguir as recomendações de grupos ambientais mal orientados e não a ciência”, acrescentou.

Não é a primeira vez que funcionários governamentais se opõem a tais decisões. Mesmo assim, mais empresas estão a “acordar” para a realidade da proteção dos ecossistemas. Para além da Whole Foods, HelloFresh e outros comerciantes americanos de produtos do mar comprometeram-se a acabar com a venda de lagostas.



Notícias relacionadas

loading...

Comentários estão fechados.