odezhda dlya sobak mylovelypet.ru magazin odezhdy dlya sobak, kupit osheynik anti lay mozhno tut - osheynik-anti-lay

Tag Archive | "alimentação"

Os benefícios de comer menos


Quando se cansou de dizer aos seus pacientes, repetitivamente, para comerem menos, uma nutricionista norte-americana mandou fazer várias t-shirts com a frase: “Eat Less You Pig” (“Como Menos, Seu Porco”, em português). O objectivo era deixar bem claro que reduzir a quantidade de alimentos que ingerimos significa optimizar a nossa saúde e melhorar o ambiente.

A história é contada pelo jornalista James McWilliams no Huffington Post e, ainda que simbólica, mostra bem a necessidade que os consumidores ocidentais – sobretudo estes – têm de reduzir a quantidade de carne – e outros alimentos – que comem.

Segundo McWilliams, existem vários argumentos para comermos menos. Nos Estados Unidos, as taxas de obesidade duplicaram desde 1980: hoje, mais de dois terços dos adultos são considerados obesos, uma vez que cada americano médio come cerca de uma 900 quilos de alimentos por ano – perto de uma tonelada, imagine-se!

Entre 1970 e 2000, os americanos aumentaram a ingestão de calorias diárias em 24,5%, o equivalente a 530 calorias extra – ou um Big Mac – por dia. E, já em 1970, este número deveria ter sido reduzido, nunca aumentado.

Para além de ser mais saudável, comer menos é essencial para o ambiente. Se o fizermos, vamos estar a reduzir a produção de alimentos que gastam mais recursos – como a carne. Os americanos consomem hoje mais 57% mais carne que nos anos 50 – e comem quatro vezes mais queijo, 20 vezes mais iogurte e oito vezes mais adoçantes. Tudo alimentos que necessitam de vários recursos para serem produzidos e emitem mais emissões de gases com efeito de estufa que, por exemplo, as frutas e vegetais.

Não deixa de ser paradigmático, porém, que os americanos tenham aumento apenas ligeiramente o consumo de fruta e vegetais desde os anos 50 – e muito desse aumento, no que toca aos vegetais, tem como pano de fundo a utilização de tomates nas pizzas.

Finalmente, existe um outro argumento para reduzirmos a quantidade de comida ingerida: o bem-estar dos animais. Só os Estados Unidos abatem dez mil milhões de animais por ano, ainda que, segundo o Humane Resource Council norte-americano, 75% da população do país concorde que deveremos “eliminar todas as formas de crueldade animal e sofrimento”.

Ironicamente, tudo isto depende da própria população e dos seus hábitos de consumo: comer 2.000 calorias por dia em vez de 3.000, explica McWillimas, teria um grande impacto na redução destas mortes.

Leia o artigo de McWilliams, na íntegra, no Huffington Post (em inglês).

Foto: Photo and Share CC / Creative Commons

Publicado em Saúde e Bem-EstarComments (0)

Sibéria: cidade mais fria do mundo vai receber Arca de Noé das sementes (com FOTOS)


Cerca de 1,5 milhões de sementes serão armazenadas num cofre de Yakutsk, na Rússia, considerada a cidade mais fria do mundo – e temperatura média anual é de -22ºC. Esta unidade de armazenamento vai usar o frio natural da cidade siberiana para preservar as sementes durante 100 anos.

Segundo o Siberian Times, o projecto é uma espécie de Arca de Noé para as sementes e ajudará os cientistas a guardar e proteger algumas das mais importantes plantas e vegetais do mundo.

A cave será construída numa modesta e insuspeita casa de madeira, numa estrutura inovadora e que custará €4 milhões (R$ 12,8 milhões). O objectivo é que estas sementes sejam protegidas das consequências da guerra, desastres naturais e alterações climáticas.

Em 2008, um projecto idêntico foi criado em Svalbard, na Noruega, mas a estrutura siberiana é a única que utiliza o sistema natural de arrefecimento permafrost. “O projecto não utiliza qualquer maquinaria, electricidade ou combustível”, explicou o líder do Permafrost Institute, Georgy Kuzmin. “Utiliza apenas o frio natura e, por isso, os custos de manutenção são mínimos”.

Cerca de 100 mil das amostras de sementes do projecto estão já no local, desde 2012, mas a cave será expandida para chegar ao número esperado: 1,5 milhões de sementes. Segundo o Siberian Times, a estrutura está localizada numa profundidade de 12 metros.

“Quando as temperaturas globais aquecerem cinco graus, os glaciares de Svalbard irão derreter. Para que o permafrost de Yakutia derreta as temperaturas precisarão de aumentar cerca de 20ºC”, explicou Nikolai Goncharov, do Instituto de Citologia e Genética de Novosibirsk. “É um ambiente sustentável eterno, um sistema que não pode ser afectado pelos desastres”, concluiu.

Publicado em Segurança AlimentarComments (0)

Primeiro talho vegan dos EUA abre em Abril de 2015


A expressão “talho vegan” pode parecer antagónica, mas para Aubry e Kale Walch é o negócio com que sempre sonharam. Estes irmãos vão abrir o The Herbivorous Butcher, o tal talho vegan, na cidade de Minneapolis em Abril de 2015, depois de uma campanha bem sucedida de angariação de fundos na plataforma Kickstarter.

O The Herbivorous Butcher, que já existia num mercado municipal, ainda que numa versão mais pequena e pontual, terá uma zona de talha e uma cozinha comercial, que venderá costeletas, salsinhas, peru, fiambre, chouriço, frango e outras carnes. Tudo vegan. Paralelamente, o negócio estará também disponível para todo o território norte-americano, por encomenda.

Os irmãos Walch arrancaram com este novo conceito em Junho, num mercado de Minneapolis, e desde então venderam todos os seus produtos, explica o Inhabitat. “Tivemos muito cuidado ao preparar uma carne alternativa e 100% vegan, que não provocou mortes de animais nem oferece impactos negativos para a nossa saúde, animais e ambiente”, explicam os irmãos na sua página no Kickstarter.

Segundo o Inhabitat, Aubry é vegetariana há 18 anos e Kale tornou-se vegan muito recentemente. A nova loja permitirá à dupla preparar novas receitas semanais: desde queijos e pão vegan até produtos sem glúten.

A campanha do Kickstarter pediu, inicialmente, €40.000 (R$ 128.000), mas acabou por arrecadar €48.000 (R$ 153.000), a pedido dos próprios, para comprar utensílios para a cozinha. Serão estes equipamentos extra que permitirão a expansão do negócio para todo o continente americano. Para quando algo idêntico em Portugal?

Publicado em Saúde e Bem-EstarComments (1)

7 benefícios desconhecidos da cenoura


A cenoura pertence ao grupo de alimentos com “efeitos promissores” na prevenção de alguns tipos de cancro, segundo assinala a Organização Mundial de Saúde no Relatório Mundial do Cancro 2014.

Sendo um dos vegetais mais produzidos no mundo, a cenoura é muitas vezes desvalorizada pela população. A Ásia é o maior produtor do mundo, seguido da Europa e dos EUA. O agregador O Meu Bem Estar pegou nas dicas da nutricionista Carmen Garcia Torrent, licenciada em Ciência e Tecnologia dos Alimentos, e elaborou a lista dos sete benefícios da cenoura.

1.Os aromas da cenoura estimulam o apetite.

2.Consumi-la crua fortalece os dentes e gengivas. Comer vegetais crus como a cenoura melhora a corrente  sanguínea bocal e evita que as bactérias se instalem nos dentes. Além disso, o flúor, presente em alimentos como a cenoura, espinafre ou maçãs,  é um mineral essencial para manter  o bom estado do esmalte dentário e previne as cáries dentárias.

3.Ajuda a combater a constipação e dor de estômago por intoxicação. Graças ao seu elevado teor de fibras, previne a prisão de ventre. Além disso, acalma o excesso de acidez devido a minerais como sódio, cloreto, potássio e vitamina B. Portanto, é um alimento altamente recomendado se sofre de gastrite.

4.Devido ao seu elevado conteúdo em água, é diurética e ajuda na desintegração dos cálculos renais.

5.Rica em potássio e fósforo, é um excelente alimento para mentes cansadas e para acalmar.

6.Fortalece as unhas e o cabelos, aumentando o brilho. As células-mãe da cenoura são ricas em betacaroteno, também chamado de pró-vitamina A, que no corpo se transforma em retinol ou vitamina A. Estas compostos reparam as células danificadas pelos efeitos ambientais, e, assim, fortalecem e revitalizam as unhas e o cabelos. A vitamina A ajuda na produção de sebo, benéfico para o couro cabeludo.

7. Melhora a qualidade do leite materno. O betacaroteno e a vitamina A melhoram a quantidade biológica do leite materno, segundo Mario García, médico em Farmácia e especialista em Segurança Alimentar. A ingestão de betacarotenos, minerais e enzimas da cenoura favorecem a produção saudável do leite materno.

E, sim, a cenoura também é boa para os olhos. A ingestão diária de cenoura é especialmente recomendada em casos de perda da acuidade visual e cegueira crepúsculo (dificuldade para enxergar à noite ou com pouca luz). A OMS acredita que deficiência de vitamina A é a principal causa de cegueira infantil nos países em desenvolvimento.

Foto: John Morgan / Creative Commons

Publicado em Saúde e Bem-EstarComments (0)

12 alimentos contra o stress


Dores de cabeça, mau humor, choros, esquecimentos, batimentos cardíacos muito acelerados, dores musculares e mãos frias e húmidas. Já sentiu alguns destes sintomas? Então, se calhar, você é mais uma vítima do stress, doença que tem o poder de nos deixar de cabelos em pé e que afecta quase a totalidade da população activa em todo o mundo.

Mais de metade da população activa passa, pelo menos, um quarto do seu dia de trabalho a realizar actividades a alta velocidade e com prazos curtos e rígidos. Se quer tentar começar o seu dia com menos stress, conheça os alimentos que o podem ajudar nesta tarefa, segundo o site espanhol Muy Interessante.

Saiba mais sobre alimentação e exercício físico no agregador O Meu Bem Estar.

1.Espargos

Os espargos são ricos em ácido fólico, que é essencial para manter a calma. Seja em saladas, grelhados ou assados​​, este alimento é também uma excelente fonte de fibras e vitamina B.

2.Laranjas

As laranjas são muito apreciadas pela sua abundância em vitamina C. No entanto, esta vitamina, além de estimular o sistema imunitário, retarda também os níveis de cortisol, a hormona do stress, o que torna as laranjas num excelente alimento anti-stress.

3.Iogurte

Consumir um iogurte natural todos os dias regenera a flora intestinal e promove a produção de serotonina, a hormona produzida pelo cérebro e que está relacionada com a regulação do estado de humor.  O iogurte também é um regulador do sono, já que proporciona um sono tranquilo, enquanto controla o nosso stress e a nossa temperatura corporal.

4.Aveia

A aveia é um hidrato de carbono complexo que ajuda a aumentar os níveis de serotonina no cérebro. A serotonina é um neurotransmissor responsável por impulsionar o estado de ânimo e ajudar a relaxar.  Apesar de todos os hidratos de carbono terem este efeito (incluindo doces, refrigerantes, doces ou batatas fritas), a aveia, além de ser mais saudável, leva mais tempo a digerir e, portanto, tem efeitos mais duradouros

5.Chocolate

Muitos estudos têm comprovado os benefícios do chocolate preto em vários aspectos, nomeadamente no nosso estado de espírito. Consumir uma pequena quantidade de chocolate preto por dia (40-50 gramas) reduz os níveis das hormonas do stress. Já para não falar da grande quantidade de antioxidantes que contém (mais do que as frutas).

6.Couve lombarda

Este repolho arredondado e de folhas lisas, à semelhança de todas as frutas e legumes de cor roxo (mirtilos, amoras, beringela, rabanete, cerejas …), contém antocianinas que protegem contra as doenças cardiovasculares e melhoram a saúde mental. Todas estas frutas e vegetais têm-se revelado úteis no combate ao stress.

7.Limões

Os limões contêm grandes quantidades de antioxidantes tão valiosos como a vitamina C e que são capazes de purificar e proteger as células do fígado. Se procurarmos pelo remédio mais natural que existe contra o stress, certamente será o sumo de limão. Consumido em jejum combate o stress, fadiga e o cansaço crónico.

8.Chá de camomila

O chá de camomila, juntamente com o tradicional leite morno, são os melhores aliados contra o stress antes de ir para a cama. Um estudo realizado pela Universidade da Pensilvânia demonstrou a eficácia de camomila num ensaio com pessoas com transtorno de ansiedade generalizada. Após oito semanas de tratamento, os pacientes tiveram uma diminuição significativa nos sintomas de ansiedade. Também são recomendadas ervas como valeriana ou flor de laranjeira.

9.Ostras

Apesar da fama de alimento afrodisíaco, os seus benefícios não ficam por aqui. Seis ostras têm mais de metade da dose diária recomendada de um mineral importante: o zinco. As ostras aumentam a resistência ao stress, combatem a fadiga e fornecem energia extra.

10.Queijo fresco

O queijo fresco tem baixo teor de gordura e é rico em proteínas e cálcio, ajudando a fortalecer e a relaxar o sistema nervoso, e a controlar o stress. O ácido pantoténico, também contido neste tipo de queijo, é uma vitamina que ajuda o corpo a responder ao stress e também auxilia as funções cerebrais.

 11.Vinho

Um copo de vinho tinto por dia ajuda a prevenir a depressão, ansiedade e o stress. O vinho melhora a circulação sanguínea e reduz a pressão arterial, entre outras coisas. O papel protector do álcool, especialmente do vinho tinto, branco e em menor medida da cerveja,  contra o stress é uma boa razão para tomar entre 2 e 7 copos de vinho por semana.

12.Caju

O caju é rico em magnésio (conhecido como o mineral anti-stress), que ajuda a relaxar o músculo liso dos vasos sanguíneos. O que causa esse efeito é o facto de o caju fornecer mais oxigénio para o cérebro, ajudando a evitar dores de cabeça e enxaquecas.

Foto: Derek Gavey / Creative Commons

Publicado em Saúde e Bem-EstarComments (0)

6 benefícios das framboesas para a saúde


Um grupo de investigadores norte-americanos concluiu que o consumo de framboesas promove a fertilidade nos homens e nas mulheres, aumentando significativamente as probabilidades de gravidez. A responsabilidade é do alto nível de antioxidantes presentes neste fruto, que protegem o esperma de stress oxidativo.

Mas, segundo o site Muy Interessante, citado pelo português O Meu Bem Estar, as framboesas frequentemente utilizadas em doces e compotas, traz muitos outros benefícios para a saúde.

1.Protegem a saúde do coração

Os flavonóides presentes nas framboesas reduzem o risco de morte por doença cardiovascular, mesmo em pequenas quantidades. O elevado teor de polifenóis das framboesas pode também reduzir o risco de desenvolver doenças cardiovasculares, ao prevenir a acumulação de plaquetas e ao reduzir a pressão arterial através de mecanismos anti-inflamatórios. Um estudo realizado pela Escola de Saúde Pública de Harvard (EUA) mostrou que “o consumo regular de antocianinas presentes nas framboesas pode reduzir o risco de ataque cardíaco em 32% nas  mulheres jovens e de meia-idade.” Como se isso não bastasse, o potássio desta fruta também protege a saúde do coração.

2.Previnem o cancro

As framboesas contêm poderosos antioxidantes que actuam contra os radicais livres, inibindo o crescimento dos tumores e diminuindo a inflamação no corpo. Assim, os potentes polifenóis presentes nas framboesas podem proteger contra vários tipos de cancro, incluindo o do esófago, pulmão, boca, faringe, pâncreas, próstata e colón.

3.Controlam a diabetes

As  framboesas têm uma grande quantidade de pele e, portanto, de fibra, que ajuda a manter estável o açúcar no sangue. Diversos estudos demonstraram que as pessoas com diabetes tipo 1 que consomem dietas ricas em fibra têm níveis mais baixos de glucose; as pessoas com diabetes tipo 2 melhoram o seu nível de açúcar no sangue, os lípidos e os níveis de insulina, graças à ingestão de framboesas.

4.Potenciam a memória

Vários estudos em animais comprovaram que existe uma associação positiva entre a ingestão de flavonóides de frutos como as framboesas e a melhoria da memória, assim como uma redução do declínio da capacidade cognitiva relacionada com o envelhecimento.

5.Melhoram a saúde visual

Os alimentos ricos em vitamina C, como as framboesas, ajudam a manter os olhos saudáveis, proporcionando protecção contra os efeitos nefastos dos raios UV. Além disso, desempenham um papel protector na saúde dos olhos, reduzindo a  probabilidade de ocorrer degeneração macular associada à idade.

6.Auxiliam a digestão

O teor de fibra das framboesas ajuda a prevenir a prisão de ventre e a manter o sistema digestivo saudável, já que a fibra promove a regularidade, fundamental para eliminar as toxinas do corpo através da bílis e das fezes. Além disso, o consumo elevado de fibra está associado a um menor risco de Acidente Vascular Cerebral, hipertensão, diabetes, obesidade, doenças cardiovasculares e determinadas doenças gastrointestinais. Aumentar o consumo de fibra ajuda a reduzir a pressão arterial, os níveis de colesterol e a melhorar a perda de peso em pessoas obesas.

Foto: swong95765 / Creative Commons

Publicado em Saúde e Bem-EstarComments (0)

Recomendações

Blogroll