O seu cão é inteligente. Mas será um génio?



Cães génios podem aprender 12 nomes de brinquedos por semana e lembrarem-se durante dois meses.

Um novo estudo descobriu que existem alguns cães que são grandes aprendizes de palavras. Estes animais podem aprender os nomes de uma dúzia de brinquedos numa semana e lembrarem-se meses depois. Essa capacidade cognitiva e memória de longo prazo fascina os investigadores e é muito incomum.

“Cães com um vocabulário de nomes de objetos são raros e considerados excepcionalmente dotados”, escreveram os cientistas na revista Royal Society Open Science.

Para o seu estudo, os especialistas pesquisaram ao redor do mundo durante dois anos à procura de cães que tivessem a capacidade de memorizar rapidamente os nomes dos seus brinquedos.

“Descobrimos que, embora a maioria dos cães possa aprender facilmente a associar palavras a ações como ‘sentar’ ou ‘deitar’, apenas poucos cães são capazes de aprender os nomes dos objetos”, disse o investigador Shany Dror, do Family Dog Project da Universidade Eötvös Loránd em Budapeste.

Para encontrar mais desses cães talentosos, os investigadores criaram o Genius Dog Challenge, um projeto de investigaçao e uma campanha de media social, de forma a consciencializar o público e encontrar animais de estimação brilhantes.

Encontraram seis border collies geniais que viviam em países diferentes. Cada um aprendeu os nomes dos brinquedos apenas enquanto brincava com os seus donos.

Para o desafio, cada um dos proprietários recebeu duas caixas de brinquedos. Havia seis brinquedos na primeira caixa, e os donos foram solicitados a ensinar aos seus cães os nomes dos brinquedos numa semana. Todos os cães receberam os mesmos brinquedos e os nomes foram escolhidos aleatoriamente a partir de sugestões nas redes sociais. Nenhum dos nomes soava semelhante a qualquer um dos outros brinquedos dos cães. No sétimo dia, Dror testou o conhecimento dos cães sobre os nomes dos brinquedos numa transmissão ao vivo.

O dono estava num quarto e uma pilha de brinquedos estava no outro. Os cães foram solicitados pelo proprietário a recuperar um brinquedo específico pelo nome. O proprietário estava numa sala separada para controlar o que é conhecido como “efeito Hans inteligente”, onde o proprietário inadvertidamente dá pistas sobre a escolha certa.

Em seguida, os donos de cães fizeram o mesmo com a segunda caixa. Desta vez, havia uma dúzia de brinquedos e os donos novamente tiveram uma semana para ensinar os seus cães os nomes desses brinquedos e os animais foram testados numa transmissão ao vivo. Dois cães recuperaram 10 brinquedos, um conseguiu 11 e os três restantes recuperaram todos os 12.

Depois disso os investigadores queriam ver se os cães estavam a reter o seu conhecimento de palavras. Desta vez, guardaram os brinquedos para que os cães não pudessem utilizá-los. Após um mês, o teste foi repetido com seis brinquedos. Cinco dos cães recuperaram com sucesso todos os seis brinquedos e um recuperou apenas três brinquedos.

Em seguida, os seis brinquedos restantes foram testados após dois meses. Três cães recuperaram todos os seis brinquedos, um recuperou cinco, e os cães restantes não recuperaram naca acima do que é considerado acaso.

“Muitos alunos podem testemunhar o facto de que informações que são rapidamente adquiridas muitas vezes são rapidamente esquecidas. Isto é especialmente verdadeiro ao adquirir uma grande quantidade de informações (como na noite anterior a um exame)”, diz Dror. “Portanto, queríamos ver se os cães não apenas aprendiam os novos nomes dos brinquedos, mas também eram capazes de formar uma memória de longo prazo”.

A raça desempenha um papel?

Embora a maioria dos cães possa aprender alguma coisa, muito poucos cães podem aprender assim.

“Não sabemos exatamente quão comum é este fenómeno ou qual é a percentagem exata, mas sabemos que é muito baixa”, afirma Dror.

Um estudo recente comparou o desempenho desses seis cães superdotados com o desempenho de 36 cães típicos de família que foram treinados durante três meses para aprender o nome de apenas dois brinquedos. Apenas um cachorro, chamado Olivia, conseguiu aprender os nomes dos dois brinquedos junto com os cães talentosos, enquanto os outros cães da família não aprenderam os nomes dos brinquedos.

“Então, parece que apenas poucos cães têm a capacidade de aprender nomes de objetos e que os cães superdotados que possuem essa habilidade podem fazê-lo muito rapidamente. Num estudo anterior, descobrimos que esses cães superdotados são capazes de aprender o nome de um novo objeto depois de ouvi-lo apenas 4 vezes”, exclama Dror.

“Mas os cães nesta experiência foram expostos apenas a dois brinquedos de cada vez e não mantiveram uma memória de longo prazo dos nomes dos objetos. No estudo atual, os cães não apenas foram capazes de aprender um grande número de novos nomes num curto período de tempo, mas também conseguiram construir uma memória de longo prazo desses nomes de objetos recém-aprendidos”.

A maioria dos cães que têm essa habilidade genial são border collies, indica Dror, assim como todos os seis cães que competiram no desafio.

“No entanto, mesmo entre esta raça, é um fenómeno raro, e a maioria dos border collies que testamos não mostram a capacidade de aprender nomes de objetos. Além disso, este não é um traço exclusivo de border collie”, afirma.

Como o desafio recebeu tanta atenção, os investigadores recrutaram cerca de mais 15 cães. Embora a maioria seja border collies, existem algumas outras raças, incluindo um pastor alemão, pequinês, um mini pastor australiano e algumas raças mistas.

“Também já existem relatos publicados de cães de outras raças a mostrar essa capacidade”.

O Papel do Treino

Todos estes caninos “dotados para aprender palavras” não recordam os nomes apenas por causa do treino. Os investigadores ainda não sabem por que alguns cães têm a capacidade de aprender facilmente os nomes dos objetos.

“O treino por si só não parece ter efeito sobre a capacidade de cães de família típicos de aprender nomes de objetos”, afirma Dror. “Na verdade, os seis cães superdotados testados no estudo atual não foram oficialmente treinados para aprender os nomes dos objetos. Os seus donos simplesmente brincaram com eles com os brinquedos e perceberam depois de um tempo que os cães sabiam os nomes dos brinquedos.”

Eles também não sabem ao certo por que a maioria dos cães pode aprender facilmente a associar palavras a ações (“ir passear?”), mas não consegue fazer a conexão com objetos.

“Curiosamente, alguns estudos sugerem que para bebés é o contrário e que eles acham mais difícil aprender verbos do que substantivos”, diz Dror.

“Esses cães talentosos apresentam um talento único de uma forma que pode ser semelhante à expressão de talento em humanos. Pessoas excepcionalmente talentosas, como Albert Einstein e Mozart, moldaram a nossa história e, no entanto, sabemos muito pouco sobre as circunstâncias em que o seu talento surgiu. Esperamos que estes cães talentosos possam ajudar-nos a entender as condições que permitem o surgimento de um desempenho excepcional”.

Mas se o seu cão não é nenhum Einstein ou Mozart, não se assuste.

“Há um ditado famoso que diz que os animais serão tão inteligentes quanto permitido. Quanto mais estimularmos e desafiarmos os nossos amigos peludos, melhor poderemos mostrar as suas verdadeiras habilidades”, exclama Dror. “Eu encorajo as pessoas a treinarem com os seus cães, não porque querem atingir um determinado objetivo, mas porque o treino por si só é o objetivo.”



Notícias relacionadas

Comentários estão fechados.