Belize diz não à exploração petrolífera nas suas águas para proteger o seu magnifico recife de coral

Numa altura em que surgem noticias do prolongamento da licença de prospecção e exploração ao largo de Alzejur, do outro lado do mundo acontece o oposto. Belize, Caraíbas, disse não à exploração petrolífera nas suas águas, para conseguir proteger o seu famoso recife de coral.

Porto seguro para mais de 1400 espécies, o Recife de Coral do Belize tem vindo a sofrer os efeitos da exploração petrolífera de forma bastante directa. Mesmo fazendo parte da Lista do Património Natural em Perigo da UNESCO desde 2009, o local corre sérios riscos ambientais, com várias espécies ameaçadas, caso do manatim, da tartaruga-de-escamas e de alguns tubarões.

Com 300 quilómetros, o Recife de Belize irá agora receber uma protecção ambiental suplementar, com a decisão a ser aplaudida pela WWF. “Esta é uma decisão da maior importância. Mostra que o Belize, um país em desenvolvimento, está preparado para colocar os seus cidadãos e o ambiente em primeiro lugar”, declarou Chris Gee, desta ong ambiental.

Com uma economia dependente em grande parte do turismo, preservar os seus atractivos naturais é imperativo para o Belize. Mesmo que para isso, as autoridades tenham de tomar uma decisão poucas vezes vista por um país em desenvolvimento, com Dean Barrow, primeiro-ministro belizense a encabeçar esta importante tomada de posição na protecção dos oceanos.

Por agora, a exploração e extracção de petróleo no Belize está suspensa por tempo indeterminado, com esperanças que a medida inspire outros países a seguir o mesmo caminho. “Como um mergulhador ávido há mais de 35 anos, acho que seria extraordinário se outros países seguissem o exemplo do Belize e dessem passos positivos, como proibir a exploração offshore de petróleo”, comenta um morador neste país da América Central.

Foto: dronepicr / flickr