Edelman Trust Barometer: Portugal continua a ser um país desconfiado

Os portugueses confiam hoje mais no Governo, empresas e media que há um ano atrás, de acordo com o Edelman Trust Barometer Portugal 2012, que inquiriu os portugueses entre 10 de Outubro e 31 de Novembro de 2011 e que está neste momento a ser apresentado pela consultora de comunicação GCI.

Segundo o estudo, que vai já na sua terceira edição, de 2011 para 2012 apenas se verifica um decréscimo da confiança dos portugueses nas ONG. O inquérito baseia-se numa amostra da população considerada informada (público informado) e revela que a confiança dos portugueses no Governo aumentou este ano 20 pontos percentuais face ao ano passado, para uns ainda assim magros 29%.

Porém, o Governo continua a ser a instituição menos confiável no país, mantendo-se longe da média da União Europeia (38%). No topo da confiança continuam as ONG, que desceram 6%, para os 63%, as empresas – que subiram de 47 para 54% e os media – cresceram 12 pontos percentuais, para os 51% -, respectivamente.

“O crescimento da confiança no Governo está associado a uma mudança, ou seja, ao início de um novo ciclo político, que é comparável ao ano anterior, quando estávamos precisamente no final de um ciclo e em que se verificou uma confiança no Governo de apenas 9%. Aliás, quando comparado com os 26 países que integram o estudo, Portugal é, em 2012, o quinto país com pior nível de confiança face ao Executivo”, explica Pedro Pires, coordenador nacional do estudo.

Posicionado lado a lado com a classificação dos países abrangidos pelo Edelman Trust Barometer 2012, Portugal demonstra ser um país “desconfiado”, apresentando-se, no entanto, muito próximo da posição de transição para a classificação de “neutro”.

Portugal encontra-se também muito próximo das médias globais de confiança nas empresas, media e ONGs, sendo que a confiança no Governo está bastante abaixo das médias europeia e global. De destacar que, em relação às empresas, a confiança dos portugueses se encontra acima da média da União Europeia.

Por sectores, o da tecnologia é aquele em que os portugueses mais confiam (atingindo, inclusive, um valor de confiança superior ao valor alcançado em 2011). Em segundo e terceiro lugar passam a estar os sectores da alimentação e bebidas e da indústria de cervejas e bebidas espirituosas, respectivamente. O sector da energia sofre uma acentuada queda de confiança (de catorze pontos percentuais) passando da segunda posição (2011) para a sexta em 2012.

Saiba mais sobre o Edelman Trust Barometer Portugal e a sua apresentação, no ISEG, nas próximas edições da Green Savers Daily.

O Edelman Trust Barometer é um dos principais estudos de confiança a nível mundial, analisando a realidade portuguesa há quatro anos. Conheça os principais resultados do Edelman Trust Barometer Portugal 2011. E as conclusões de Augusto Mateus e Basílio Horta.

Realizado em 22 países, o Edelman Trust Barometer entrevista uma população que, simultaneamente, aufere um rendimento que se situa no quartil superior do respectivo País, que vê regularmente notícias na comunicação social e tem, pelo menos, uma licenciatura.

O estudo é realizado anualmente há 12 anos pela Edelman e os resultados globais são apresentados no primeiro dia do World Economic Forum, em Davos. Recorde os resultados globais de 2012.

Deixar uma resposta

Patrocinadores

css.php