A preocupação com o futuro da alimentação é um dos temas mais actuais e, ainda recentemente, lhe demos conta de duas iniciativas do género, uma em Espanha, no Basque Culinary Center e outra na Universidade do Minho.Desta vez o debate aconteceu na Maia e foi organizado pela Sonae MC (que gere a marca Continente e Go Natural, entre outras), em colaboração com diversos parceiros internacionais como a Vision 2020, Business France, ICEX Espanha ou a Rede de Ciência e Inovação do Reino Unido (UK Foreign Office). Sob o tema “The Future of Food – Envisioning our Food Systems”, a conferência juntou os operadores de retalho a vários investigadores e empreendedores, nacionais e internacionais e juntos discutiram os desafios e oportunidades do futuro da alimentação.

Para Nuno Lopes Gama, Head of Innovation & Future Tech na Sonae, “a Conferência foi um sucesso, pois, para além de ter conseguido reunir actores de primeiro plano, representativos dos diferentes sistemas intervenientes, foi um espaço privilegiado de construção e reforço da nossa rede colaborativa e será, com toda a certeza, um primeiro passo para o desenvolvimento de projectos partilhados de investigação, desenvolvimento e inovação, que nos ajudarão a construir o futuro da alimentação em que acreditamos e estamos apostados.”

futuro alimentação

A conferência durou dois dias, entre apresentações, painéis de debate e workshops, e mais uma vez se concluiu que as alterações climáticas, a pluralidade dos centros económicos, ou os desenvolvimentos tecnológicos e científicos, entre muitos outros, vão motivar alterações profundas nos sistemas alimentares tal como os conhecemos. Como exemplos dessa nova realidade estarão, por exemplo, a agricultura urbana, designadamente vertical, o crescimento de adopção de novas fontes de proteína, o desenvolvimento de alimentos de substituição de refeições, a nutrição personalizada , ou a aposta na economia circular, que valorize excedentes, diminua a pressão sobre os recursos da biosfera e contribua para lutar contra a fome e a má nutrição.

Foto Creative Commons / Sonae MC

Deixar uma resposta