Serão os porcos tão inteligentes quanto os cães?

Há amplas evidências de que os porcos são tão inteligentes e sociáveis como os cães. No entanto, enquanto uma espécie é vista como símbolo de carinho e respeito, a outra é sinónimo de bacon, presunto e costeletas para comer.

Tentando contrariar esta discrepância, os defensores do bem-estar animal lançaram uma campanha chamada The Someone Project que tem como objectivo destacar os porcos, as galinhas, as vacas e outros animais como mais inteligentes e emocionalmente complexos do que geralmente se crê. A esperança é que mais pessoas lhes consigam atribuir a mesma empatia com que vêem cães, gatos, elefantes, macacos e golfinhos.

“Quando se pergunta às pessoas por que comem galinhas mas não gatos, a única coisa que se lembram é que sentem que os cães e os gatos são cognitivamente mais sofisticados do que as espécies que comemos – e nós sabemos que isso não é verdade”, disse Bruce Friedrich da Farm Sanctuary, organização de protecção dos animais que coordena este novo projecto.

A cientista Lori Marino, da Universidade de Emory, realizou uma extensa pesquisa sobre a inteligência de baleias, golfinhos e primatas. Segundo explica o Huffington Post, ela pretende rever os estudos científicos existentes sobre a inteligência dos animais, identificar as áreas que justificam uma nova análise e preparar relatórios sobre as suas descobertas que seriam distribuídos em todo o mundo por via dos média sociais, vídeos e conferências científicas.

“Eu quero ter a certeza que tudo isto é levado a sério”, disse Marino. “A questão não é a classificação destes animais, mas reeducar as pessoas sobre quem eles são. Eles são animais muito sofisticados.”

Para Marino e Friedrich, ambos vegans, os objectivos deste projecto são dois: construir um apoio público mais amplo para o tratamento humano destes animais e aumentar o número de pessoas que opta por não comer carne.

O The Someone Project vai abranger várias espécies de animais de quinta, mas os porcos tendem a ser um dos principais focos, dada a amplitude dos estudos relativos à sua inteligência e ao seu comportamento. Alguns investigadores dizem que as capacidades cognitivas dos porcos são superiores às das crianças de três anos de idade, bem como às dos cães e gatos.

A PETA retracta os porcos como animais sociáveis, brincalhões e protectores, com um vocabulário que inclui mais de 20 grunhidos diferentes.

“Os porcos são conhecidos por sonharem, reconhecerem os seus próprios nomes, aprenderem truques e levarem vidas sociais de uma complexidade anteriormente observada apenas em primatas”, revela o site. “Como os seres humanos, os porcos gostam de ouvir música, brincar com bolas de futebol e receber massagens.”

Os porcos criados livremente em quintas correm para cumprimentar o dono, à semelhança dos cães. Mas as pessoas estão acostumadas a vê-los como rebanhos, grupos indiferenciados, e a pensar que são todos iguais – na verdade, existem grandes diferenças entre estes indivíduos.

De acordo com a Farm Sanctuary, as vacas ficam entusiasmadas perante desafios intelectuais, as galinhas podem desvendar labirintos e antecipar o futuro e as ovelhas conseguem lembrar-se dos rostos de dezenas de seres humanos e de outras ovelhas durante mais de dois anos.

Quer mesmo continuar a ignorar as capacidades do que tem dentro do prato?

Notícias relacionadas
Comentários
Loading...