Tal como os humanos, as esponjas do mar também espirram



Tal como nós, seres humanos, as esponjas do mar também têm o hábito de espirrar para expulsar substâncias indesejadas. A descoberta foi apresentada num estudo da Universidade de Amesterdão, nos Países Baixos, publicado agora na revista científica Current Biology.

Para a investigação, a equipa analisou esponjas das espécies Aplysina archeri, Chondrilla caribensis, Xestospongia muta e Verongula gigantea num aquário, tendo ainda recolhido o muco. A cada três a oito horas, as esponjas contraíam-se e depois relaxavam os tecidos superficiais. No início pensámos que o foco [da câmara de filmar] estava temporariamente desligado, mas logo percebemos que os animais estavam a ‘espirrar’“, revela o primeiro autor do estudo, Niklas Kornder.

Depois de se alimentarem de matéria orgânica dissolvida, as esponjas produzem um fluído idêntico ao muco, que retém e transporta os resíduos. Através do espirro, que leva cerca de 30 minutos, estes organismos conseguem expulsar o muco e limpar os canais de água. Embora os cientistas pensassem que o muco sairia do corpo pelos canais de saída da água, perceberam que este sai pelos canais de entrada da água. Por sua vez, o muco serve depois de alimento para outras criaturas marinhas.

As esponjas do mar estão entre os animais mais antigos do Planeta Terra – algumas espécies vivem há mais de 650 milhões de anos. Hoje em dia, existem mais de 8.550 espécies distintas que pertencem ao filo Porifera e que se dividem em quatro classes, a Demospongiae, a Calcarea, a Hexactinellida e a Homoscleromorpha.

Veja aqui um dos vídeos publicados pelos investigadores, onde é possível assistir a este processo.



Notícias relacionadas

loading...

Comentários estão fechados.