Juntar arte com a produção de energia limpa é o objectivo do WindArt, um projecto da empresa Senvion, que tem na sua estação de energia eólica de Âncora um maravilhoso cartão de visita.

Inaugurada em 2016, com produções de energia a partir de fontes renováveis na ordem dos 150 MW, esta estação situada em Moimenta da Beira é muito mais que uma simples estação de produção energética: ela une a energia com arte, numa junção pouco provável, mas que funciona na perfeição.

Tudo começou quando, em 2014, a Senvion pediu a dois artistas para “embelezarem” a estação eólica de Hepburn Wind, na Austrália. A experiência correu tão bem, que dois anos depois a empresa trouxe o mesmo conceito para Portugal. Por cá, o projecto contou com a participação de Joana Vasconcelos e de Alexandre Farto, mais conhecido como Vhils, que em 2016 derem

O caso português foi especialmente bem sucedido, uma vez que não esta iniciativa não passou apenas por uma “nova roupagem” para as duas enormes tores eólicas, com cerca de 100 metros de altura e 50 metros de envergadura, num total de 150 metros. Também o impacto paisagístico e ambiental da iniciativa foi tido em conta, num jogo perfeito entre ecologia e arte.

Foto: WindArt