odezhda dlya sobak mylovelypet.ru magazin odezhdy dlya sobak, kupit osheynik anti lay mozhno tut - osheynik-anti-lay

Tag Archive | "salvamento"

África do Sul: tubarão que deu à costa morto é esfaqueado para salvar os três bebés (com FOTOS)


Quando uma família norte-americana encontrou um tubarão morto numa praia da Cidade do Cabo, África do Sul, a primeira reacção foi deixar o animal em paz, mas algo aconteceu, entretanto, que mudou o seu estado de espírito: a barriga grávida do tubarão mexeu-se várias vezes.

Então, e percebendo que os tubarões ainda não nascidos estavam vivos, um homem cortou a barriga do animal para deixar os seus filhotes viver. De acordo com o vídeo do momento, colocado recentemente online, os bebés demoraram algum tempo a reagir, mas acabaram por deixar-se ver.

Ouve-se depois uma voz de mulher, pedindo ao homem para não se deixar morder – os tubarões nascem já com a sua dentição completa – e, depois de alguns momentos de tensão, o veterinário improvisado agarrou o recém-nascido pela cauda e atirou-o para o mar.

À medida que as testemunhas dão os parabéns ao bom samaritano, um segundo tubarão começa a mexer-se e é enviado para o mar – haveria ainda um terceiro, que seguiu o caminho dos irmãos. O bom samaritano ainda procurou um quarto tubarão, mas não havia mais nenhum.

Apesar de forma pouco tradicional como chegaram ao mundo, os três tubarões deverão viver uma vida normal. Na verdade, eles podem ficar até dois anos no ventre da mãe, mas mal nascem acabam por se afastar – é que, muitas vezes, a mãe acaba por os comer, pelo que os bebés tornam-se independentes a partir do momento em que nascem.

Veja algumas fotos do salvamento – com má qualidade – e, neste link, aceda ao vídeo.

Foto: Sandra Schleter / Creative Commons

Publicado em Inclusão SocialComments (0)

Bombeiro espanhol tenta salvar cachorro de dois meses com respiração boca-a-boca


Carlos Arana, um bombeiro que respondeu a um incêndio numa habitação de Sagunto, em Valência, Espanha, tentou salvar o cão do proprietário da casa com recurso à respiração boca-a-boca. Segundo o bombeiro, o fogo estava já extinto quando ele encontrou o yorkshire terrier – aparentemente morto – debaixo das escadas do edifício.

“Carlos pegou no cachorro [de dois meses] e correu para fora da casa, tentando reanimá-lo”, explicou Jover Badia, colega de Arana. “O pequeno cão continuou inconsciente, mas Carlos estava determinado a salvá-lo”.

“Ele pôs a máscara de oxigénio no cão, mas como ela não funcionava, ele colocou lentamente a sua própria boca no focinho do cão e começou a respiração boca-a-boca”, continuou Javier Badia. Veja o vídeo.

Cinco minutos depois de começar a respiração boca-a-boca, o cachorro começou a mexer as pernas. Depois, Carlos Arana pegou no cão e levou-o a um veterinário vizinho. A filmagem da tentativa de salvamento caiu nas redes sociais, e o bombeiro de Sagunto é hoje um herói na cidade. “Ele não é um bombeiro, é um anjo vestido de bombeiro”, dizia um dos comentários.

Infelizmente, porém, o cachorro acabou por morrer horas mais tarde, no veterinário, vítima de complicações do incêndio.

Foto: Sodanie Chea / Creative Commons

Publicado em ComunidadesComments (0)

EUA: bombeiros salvam família de hamsters de incêndio com máscaras de oxigénio minúsculas


Na passada semana, os bombeiros de Lacey, no estado norte-americano de Washington, foram chamados para apagar um incêndio numa habitação pré-fabricada. O que poderia ter sido uma operação normal acabou por se tornar num acto de salvamento dos animais menos expectáveis.

Os primeiros bombeiros a chegar ao local entraram dentro da habitação à procura de possíveis vítimas e foi quando descobriram cinco hamsters ameaçados pelas chamas. Os animais foram então rapidamente retirados do local e as chamas extintas.

Contudo, os bombeiros tiveram de recorrer ao kit de emergência para salvamento de animais, pois os pequenos hamsters estavam intoxicados com o fumo, escreve a Mashable. E foi com minúsculas máscaras de oxigénio, improvisadas – pois normalmente estes equipamentos são apropriados para cães e gatos -, que os bombeiros conseguiram salvar os pequenos animais.

Fotos do salvamento dos hamsters foram partilhadas no Twitter dos bombeiros de  Lacey. Veja-as aqui.

Publicado em CidadaniaComments (0)

Pit Bull adoptado salva criança de enxame de abelhas


Um grupo de crianças da Cidade de Oregon, nos Estados Unidos, estava a brincar perto de um aterro quando, acidentalmente, perturbaram uma colmeia de abelhas. À medida que as abelhas começaram atacar, as crianças conseguiram fugir, excepto o pequeno Jesse-Cole Shraver, de oito anos, que foi incapaz de se mover.

Foi quando o destemido Pit Bull Hades, que tinha sido adoptado pela família da criança, interveio e arrastou o pequeno Jesse-Cole para segurança, longe do enxame de abelhas.

“O Hades viu-me e arrastou-me para a relva, deixando-me trepar para as costas dele e levou-me até à minha mãe”, contou a criança aos jornalistas, cita o Dodo.

Jesse foi picado pelas abelhas 24 vezes. A sua irmã, Jasmine, de 14 anos, que também fazia parte do grupo de crianças, é alérgica a abelhas e foi picada cinco vezes. Mas ao contrário de Jesse, Jasmine conseguiu fugir e tomar o medicamento de emergência, enquanto um vizinho ligava para o 112.

“Agradeço muito ao meu cão”, indicou a mãe das duas crianças. “Estou muito contente por o termos adoptado. Algumas destas crianças podiam ter ficado gravemente feridas ou até mesmo morrido, estou certa disso”, acrescenta.

Os Pit Bulls são uma raça de cães forte e muito atenta às ameaças que os rodeia, daí que Hades tenha prontamente salvo o pequeno Jesse-Cole. A má reputação destes animais é muitas vezes infundada e muitos destes cães têm um laço muito forte com os seus donos.

Publicado em BiodiversidadeComments (0)

Respiração boca-a-boca salva coala


Um coala gravemente ferido foi salvo por uma equipa de resgate que teve de efectuar respiração boca-a-boca para salvar o pequeno animal. O coala, baptizado de Sean, foi atropelado por um carro, conseguindo posteriormente subir para o topo de uma árvore em Langwarrin, um subúrbio de Melbourne, na Austrália.

“Isto é o que geralmente a maioria dos animais faz. É o seu instinto”, afirma a porta-voz da Wildlife Victoria, Amy Amato. “Quando os animais são feridos, conseguem encobrir os ferimentos e afastam-se dos predadores. O coala viu-nos como predadores”, explica, cita o Huffington Post.

Contudo, quando os voluntários do Wildlife Victoria e os bombeiros conseguiram alcançar o animal a situação parecia bastante feia. “Parecia que tinha morrido na árvore enquanto os membros da equipa de resgate estavam a tentar tirá-lo dalí”, indica o capitão dos bombeiros de Langwarrin, Sean Curtin. O animal acabou por cair da árvore mas foi apanhado pela equipa que estava no solo com cobertores para o amparar.

“Abri-lhe a boca para ver se conseguia ouvir ou sentir a respiração, porque não conseguia ver os movimentos respiratórios no peito”, conta Michelle Tomas, da equipa de salvamento. “Depois fiz-lhe respiração boca-a-boca”, acrescenta. E o animal acabou por ser resgatado do limbo da morte.

Inicialmente, os voluntários pensavam que se tratava de um coala local chamado Sir Chomosalot. Mas quando se aperceberam que não se tratava de Sir Chompsalot, baptizaram-no de Sean, em homenagem ao capitão dos bombeiros.

Actualmente, o coala está estável e encontra-se a recuperar. O vídeo do resgate do animal pode ser visto aqui.

Publicado em CidadaniaComments (0)

Família resgata 19 golfinhos durante as férias


Foi um rapaz de 13 anos que deu o alarme, que permitiu salvar 19 golfinhos que estavam presos em baixios ao largo de uma praia de uma ilha escocesa.

Finlay Meakin, que estava de férias com a família, pediu ajuda e prontamente a sua mãe e o seu tio aparecerem para tentar levar os animais para águas mais profundas.

Durante as duas horas seguintes, a família conseguiu mover os 19 golfinhos para águas mais profundas, utilizando as correias para fixar as malas de viagem para ajudar a mover os golfinhos mais pesados, refere o Dodo. Parte do salvamento pode ser visto aqui.

O resgate acabou bem e todos os golfinhos, aparentemente sem ferimentos, voltaram a nadar para águas mais profundas, graças à destreza desta família.

Foto:  Mark Chandler Photography  / Creative Commons

Publicado em AmbienteComments (0)

Recomendações

Blogroll