10% dos casos de cancro na Europa são provocados pela poluição



Cerca de 10% dos casos de cancro na Europa são resultado da exposição à poluição, revela a Agência Europeia do Ambiente (EEA) no novo relatório “Luta contra o cancro – o papel do ambiente da Europa”. A agência investigou pela primeira vez a ligação entre a doença e o ambiente, e chegou à conclusão de que as ameaças se encontram tanto em casa, na rua, como no local de trabalho. Os principais riscos estudados foram a poluição atmosférica, o tabagismo passivo, o radão e a radiação ultravioleta e alguns produtos químicos. 

A poluição atmosférica é responsável por 1 % da totalidade de casos de cancro na Europa e causa cerca de 2 % de todas as mortes por cancro – uma percentagem que chega aos 9% no cancro do pulmão. A exposição a longo prazo às partículas em suspensão (PM) foi associada aos casos de leucemia, tanto em adultos como em crianças.

O tabagismo afeta não só o próprio fumador como as pessoas que o rodeiam. A exposição ao tabagismo passivo aumenta o risco de ter cancro em 16% em pessoas que nunca fumaram.

O radão no interior dos edifícios é responsável por 2% dos cacos de cancro e por 1 em cada 10 casos de cancro do pulmão, na Europa. Já a radiação ultravioleta natural é responsável por 4% dos casos. Importa ainda referir que o melanoma, um tipo de cancro de pele, tem vindo a aumentar nos últimos 20 anos na Europa.

A exposição a alguns produtos químicos que são cancerígenos, como o chumbo, o arsénio, o cádmio e os pesticidas, também contribuem para este desfecho. O amianto é outro inimigo, que embora tenha sido proibido em 2005 pela União Europeia, continua ainda presente em muitas infraestruturas.

Estima-se que o cancro afete 3 milhões de pessoas e provoque 1,3 milhões de mortes, todos os anos, na União Europeia. De acordo com os especialistas, é possível minimizar esta situação se alterarmos os nossos comportamentos, reduzindo os níveis de poluição e evitando a exposição a estes riscos.

“Vemos o impacto que a poluição no nosso ambiente tem na saúde e na qualidade de vida dos cidadãos europeus, razão pela qual prevenir a poluição é tão crucial para o nosso bem-estar. Reduzir a poluição através do Plano de Ação para a Poluição Zero e da Estratégia para a Sustentabilidade dos Produtos Químicos da União Europeia, bem como de uma aplicação firme de outras políticas existentes da União Europeia, contribuiria bastante para reduzir os casos e mortes por cancro. Seria um investimento eficaz no bem-estar dos nossos cidadãos”, afirma Hans Bruyninckx, diretor executivo da AEA.



Notícias relacionadas

Comentários estão fechados.