Sintra inaugura duas exposições que sensibilizam para o problema do lixo marinho



As novas exposições “Monstros Marinhos” e “Mar de Plástico” dão vida ao plástico encontrado nas praias de Sintra. É com o intuito de sensibilizar toda a comunidade e visitantes para o problema do lixo marinho, e para a necessidade de adoção de comportamentos ambientalmente responsáveis, que surgem diversas obras, entre as quais algumas realizadas pelo artista Ricardo Nicolau.

As exposições foram inauguradas este sábado, e constituem a primeira grande iniciativa após as instalações terem passado para a gestão dos Serviços Municipalizados de Água e Saneamento de Sintra (SMAS de Sintra). Na “Monstros Marinhos” são utilizados os materiais tal como são encontrados, retratando-se “monstros marinhos, ‘novas espécies´ que estão a invadir os oceanos e a criar grandes problemas ambientais e à nossa própria saúde”, explica José Teixeira, comissário das exposições. Outros módulos apresentam lixo recolhido nas praias do Parque Natural de Sintra-Cascais, desde o Guincho até à Ericeira, “com uma imensidão de tipos de resíduos”, em que foi privilegiado “o uso da cor, da repetição das diferentes formas, para mostrar esta diversidade, quase infinita, do lixo”.

A “Mar de Plástico”, por outro lado, é constituída por painéis infográficos, áreas sensoriais, vídeos e objetos artísticos. Os visitantes são convidados a entrar na exposição através de um corredor de plástico, que permite percecionarem o efeito repressivo da acumulação de plástico no meio marinho. Esta mostra, já exposta em mais de 20 localidades de Portugal Continental e Região Autónoma dos Açores, recorre ainda a objetos de uso quotidiano, que foram recolhidos em ações de limpeza de praias, apresentados em forma de supermercado de plástico, onde a enorme diversidade de materiais estão etiquetados, não com as normais datas de validade, mas com o tempo de vida no mar.

“A mensagem que queremos passar às novas gerações, através de tudo aquilo que mostramos, é que a sanita não é um caixote de lixo, porque algum dele pode ir parar ao mar, mas também que o chão também não é um caixote do lixo, para receber beatas, palhinhas ou embalagens de rebuçados, e a solução passa por mudanças de comportamento muito simples: não deitar lixo para a sanita ou para o chão. Mas, obviamente, passa ainda por reduzir a produção de resíduos, não usar sacos plásticos, usar um cantil em vez de uma garrafa de plástico, e, no final, incrementar a reciclagem”, refere José Teixeira.

“Monstros Marinhos” e “Mar de Plástico” estão patentes até 27 de março de 2022, de terça a domingo, das 10h00 às 13h00 e das 14h00 às 18h00, no espaço SMAS na Ribeira de Sintra, sendo a entrada gratuita para os munícipes de Sintra. As exposições são promovidas pelo Centro Interdisciplinar de Investigação Marinha e Ambiental da Universidade do Porto (CIIMAR) e pelos SMAS de Sintra, com o apoio da Câmara de Sintra.



Notícias relacionadas

Comentários estão fechados.