Carnaval de Loulé promove sustentabilidade com 14 carros alegóricos e 600 figurantes



O Carnaval de Loulé terá 14 carros alegóricos e 600 figurantes durante três dias, entre domingo e terça-feira, numa edição dedicada à sustentabilidade e em que se pretende calcular a pegada de carbono do evento, foi ontem divulgado.

“À descoberta dos ODS” é o tema desta edição do corso louletano, segundo a organização o mais antigo do país, promovendo os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável da Agenda 2030 das Nações Unidas, revelou o presidente da autarquia em conferência de imprensa.

“É brincar com uma coisa muito séria, mas o Carnaval é isso mesmo. Os 17 ODS fazem o apelo ao mundo para mudarem muitas coisas do dia-a-dia em diferentes planos e nós vamos brincar com isso, porque é uma forma óbvia de levar uma informação tão importante, numa perspetiva de divertimento e brincadeira, a milhares de cidadãos”, referiu Vítor Aleixo.

A erradicação da pobreza, a promoção da igualdade de género, a educação de qualidade, a ação climática, as cidades e comunidades sustentáveis ou a promoção da paz são alguns dos objetivos focados nos 14 carros alegóricos, misturando-se com a sátira política, social e desportiva.

O público poderá apreciar os ‘bonecos’ de personalidades portuguesas e mundiais, como António Costa, Pedro Nuno Santos, Pinto da Costa, André Villas-Boas, Fernando Madureira, Mário Centeno, Christine Lagarde, Vladimir Putin, Volodymyr Zelensky e Joe Biden, entre outros.

Entre domingo e terça-feira, os desfiles na avenida José da Costa Mealha vão contar também com cerca de 600 figurantes, incluindo “bailarinas brasileiras com samba no pé, os batuques frenéticos e os grupos de animação a representar associações do concelho”, destaca a autarquia.

A organização espera receber “à volta de 80 mil pessoas” nos três dias de evento, “um número que não foge muito das melhores edições do Carnaval de Loulé”, disse Vítor Aleixo.

O evento, cuja organização movimentou cerca de 100 pessoas nas últimas semanas, conta com um orçamento de 470 mil euros, “mais ou menos” a mesma verba da edição de 2023, de acordo com o autarca.

O presidente da Câmara de Loulé anunciou uma novidade para este ano, também sob o mote da sustentabilidade, preocupação que “tem vindo a acentuar-se” nos últimos anos neste e noutros eventos municipais.

“Há uma empresa, na área do ambiente, que está neste momento a ultimar connosco os preparativos para podermos calcular, pela primeira vez na história do Carnaval do Loulé, qual é a pegada de carbono que este acontecimento vai gerar nestes três dias de festa”, revelou.

O Carnaval em Loulé não se esgota na sede de concelho: em Alte, uma aldeia do interior, decorre um Carnaval “fantástico, com muitos carros”, e em Quarteira há um desfile à beira mar “com uma participação popular espontânea muito genuína”, sublinhou Vítor Aleixo.

Entretanto, as previsões de chuva e mau tempo levaram a Câmara Municipal de Loulé a cancelar o habitual desfile Carnaval infantil, que estava agendado para sexta-feira, com a festa das cinco mil crianças do concelho a fazer-se dentro das escolas.

Os bilhetes para acesso ao desfile principal têm um custo de dois euros, cujas receitas revertem a favor de associações participantes no desfile e de Instituições Particulares de Solidariedade Social (IPSS).





Notícias relacionadas



Comentários
Loading...
viagra before and after photos what to expect when husband takes viagra