Cientistas russos descobrem novo mineral exótico forjado no interior de um vulcão

A equipa de investigação da Universidade de São Petersburgo, descobriu uma nova espécie mineral na Península de Kamchatka, no extremo leste da Rúsia, mais propriamente no vulcão Tolbachik.

Este novo mineral foi batizado “petrovite” em homenagem a Tomas Petrov, um notável cristalógrafo e professor da Universidade de São Petersburgo.

Há mais de 40 anos que a mineralogia do vulcão é estudada, principalmente os fluxos de lava formados depois das duas grandes erupções do Tolbachik – em 1975-1976 e 2012-2013. Este território é único na sua diversidade mineralógica. Nos últimos anos, os cientistas descobriram dezenas de novos minerais, muitos dos quais são únicos no mundo.

A recente descoberta dos cientistas da Universidade de São Petersburgo, petrovite, Na10CaCu2 (SO4) 8, ocorre como agregados globulares azuis de cristais tabulares com inclusões gasosas. “O átomo de cobre na estrutura cristalina de petrovite tem uma coordenação incomum e muito rara de sete átomos de oxigénio. Essa coordenação é característica de apenas alguns compostos, bem como do saranchinaite, que foi descoberto pelos nossos colegas da Universidade de São Petersburgo – a equipa de investigação do Professor Oleg Siidra”, disse em comunicado o professor Stanislav Filatov.

O mineral consiste em átomos de oxigénio, enxofre de sódio e cobre, que formam uma estrutura porosa. Os vazios são conectados uns aos outros por canais através dos quais átomos de sódio relativamente pequenos podem mover-se. Os cientistas estabeleceram, portanto, que o tipo estrutural de petrovite é promissor para a condutividade iónica e pode ser utilizado como um material catódico para baterias.

Notícias relacionadas
Comentários
Loading...