De cabeça branca e patas pretas, este é o caranguejo panda

Junto aos riachos do Estado de Sarawak, na Ilha de Bornéu, vive um caranguejo diferente de todos os outros: o caranguejo panda de Bornéu. Como evidencia o nome, a espécie Lepidothelphusa cognetti é branco e preto, e distingue-se de outros parentes da família Gecarcinucidae devido às suas patas longas e finas.

O caranguejo panda foi identificado em 1903 e é uma espécie endémica da região, estando apenas presente em duas localidades de Sarawak, no Monte Penrissen e na cidade de Bau. Como é semi-terrestre, pode ser encontrado em rochas junto às margens do rio ou em cavernas. A sua alimentação consiste em pellets de crustáceos, e pode medir até 5 centímetros de comprimento.

Embora não se saiba ao certo o número de indivíduos da sua população, de acordo com a Lista Vermelha da União Internacional para Conservação da Natureza (IUCN) esta espécie encontra-se “em perigo” de extinção. A sua principal ameaça é a perda e degradação de habitat, principalmente devido à exploração madeireira. No entanto, a expansão do turismo – que leva à construção de empreendimentos – e a poluição, são também algumas das causas apontadas.

A Ilha de Bornéu é um dos únicos locais no Planeta onde coexistem espécies ameaçadas de extinção, e onde existem ainda inúmeras espécies por ser descobertas, pelo que a sua conversação é imprescindível.

Notícias relacionadas

Comentários estão fechados.