Entrevista. A campanha Não Vá ao Engano! Lixo não é no Cano! pretende “promover uma mudança de comportamentos”, afirma Marcos Sá



O esgoto é ainda para muitos cidadãos uma espécie de lixo, onde tudo o que lá depositam desaparece com facilidade. Na realidade, o seu desaparecimento não é assim tão simples – e pode ir mais longe, e causar mais danos, do que se pensa. Marcos Sá, Diretor  de Comunicação, Marketing e Educação Ambiental da EPAL, contou em detalhe à Green Savers no que consiste a nova Campanha “Não Vá ao Engano! Lixo não é no Cano!” da Águas do Vale do Tejo, que aborda e pretende solucionar precisamente esta temática.

No dia 19 de novembro, em que se assinalou o Dia Mundial do Saneamento, a Águas do Vale do Tejo lançou a campanha “Não Vá ao Engano! Lixo não é no Cano!”. Antes de mais, quais são as principais consequências da colocação incorreta de resíduos no esgoto?

Todos os dias, chegam às Estações de Tratamento de Águas Residuais da Águas do Vale do Tejo (AdVT), empresa cuja gestão delegada é da responsabilidade da EPAL, resíduos indevidos que dificultam os processos de tratamento das águas residuais. Tal acontece devido a práticas erradas que levam também a problemas graves de entupimento da rede de esgotos predial e à deterioração da mesma. Por exemplo, as toalhitas não se dissolvem na água e chegam em grande quantidade às ETAR. Esse tipo de resíduos em conjunto com as gorduras dos restos de comida, geram “monstros” que além de entupirem as redes de esgotos, podem causar danos nas linhas de tratamento das ETAR, causando a substituição de equipamentos e constrangimentos no tratamento do efluente. Também os microplásticos chegam massivamente às nossas instalações e não conseguem ser tratados na totalidade devido à sua dimensão. Urge sensibilizar os vários intervenientes para que estes comportamentos e más práticas mudem, de forma a preservar o Ambiente e os Recursos Hídricos.

No que é que consiste este novo projeto e qual é a sua principal missão?

Ao lançar esta campanha de sensibilização e educação ambiental, a Águas do Vale do Tejo pretende promover uma mudança de comportamentos, através de informação simples e conselhos práticos sobre o que não deve ir para o cano, reforçando a sensibilização face aos problemas causados pela colocação indevida de resíduos no esgoto, nomeadamente os entupimentos da rede e a dificuldade dos próprios processos de tratamento das águas residuais.

É urgente sensibilizar os vários intervenientes, para que estes comportamentos e más práticas mudem, de forma a preservar o Ambiente e os Recursos Hídricos. Além disso, ao deixarmos de ter este tipo de constrangimentos nas linhas de tratamento das águas residuais, vamos conseguir devolver água com maior qualidade ao meio ambiente.

Reforçando a parceria entre a AdVT e os 70 Municípios, que são ao mesmo tempo acionistas e clientes da empresa, toda a Campanha de Sensibilização assenta no estabelecimento de um Compromisso comum a todos os intervenientes, o de adotarmos boas práticas referentes ao que deve e não deve ir para o cano, de forma a facilitarmos o tratamento do efluente e a contribuirmos ativamente para um melhor Ambiente.

Propõe-se o estabelecimento de um Compromisso de boas práticas a adotar e a cumprir no cuidado com o Ambiente, que todos serão convidados a assumir e a publicitar, gerando um efeito envolvente e multiplicador na busca de uma Cidadania Ambiental Participativa, em que cada um, indivíduo ou coletivo, adota as boas práticas e, complementarmente, as defende e difunde, contribuindo assim para a construção de comunidades sustentáveis e um maior cuidado com a saúde dos seus habitantes e do ambiente.

De que forma será desenvolvida a campanha?

Após a apresentação pública da campanha no último dia 19 de novembro, Dia Mundial do Saneamento, na Escola de Hotelaria e Turismo de Portalegre, onde a Águas do Vale do Tejo e os municípios assumiram publicamente o Compromisso comum de trabalharem para um melhor Ambiente, serão em breve promovidas sessões de sensibilização junto das Juntas de Freguesia dos 4 municípios do projeto-piloto. Estas sessões pretendem preparar e sensibilizar os técnicos que fazem atendimento ao público para que, nesse contacto direto, possam alertar para as consequências de colocar lixo nas sanitas, e restos de comida ou óleos nos canos de esgotos.

A campanha tem como parceiros centrais os Municípios e as Juntas de Freguesia, pela sua relação de proximidade à Comunidade. A divulgação deste Compromisso comum será feita através dos meios e das redes próprias, quer dos municípios quer da AdVT. Para tal, foram desenvolvidos vários suportes de comunicação, como folhetos informativos, cartazes e flyers que deverão acompanhar as contas da água e saneamento.

A difusão da mensagem será feita, também, através de um spot de rádio e de anúncios de imprensa nos meios locais e regionais, além da publicação de vários posts nas redes digitais, quer da AdVT/EPAL quer dos municípios aderentes.

Os municípios irão usar os seus meios de divulgação próprios e, nesse sentido, foram ainda desenvolvidos outdoors em parceria com o Município de Fornos de Algodres e um mupi digital em parceria com o Município de Portalegre.

O Canal HORECA é também um público fundamental desta campanha, dado que apresenta uma oportunidade dupla de sensibilização: aos trabalhadores e aos clientes. Neste sentido, iremos desenvolver parcerias com os players do setor, como as entidades oficias e as associações empresariais, para os envolver também neste Compromisso.

A campanha abrange ainda a população escolar e estão pensadas várias ações para envolver este público tão importante, como ações de sensibilização e educação ambiental aos vários ciclos de ensino e o lançamento de um concurso escolar sobre o tema da campanha. Iremos, ainda realizar ações de sensibilização técnicas aos alunos dos cursos de hotelaria e turismo, futuros profissionais do canal HORECA.

E sendo fundamental envolver o público interno, quer da AdVT quer dos Municípios, para os tornar embaixadores deste Compromisso, estão pensadas várias ações de comunicação interna.

Que municípios serão abrangidos pelo projeto-piloto?

Nesta fase de projeto-piloto, a campanha será implementada em parceria com os Municípios de Portalegre, Borba, Fornos de Algodres e Proença-a-Nova irá durar até abril de 2022 quando, no Dia Mundial da Terra, serão anunciados os vencedores do concurso escolar numa cerimónia de entrega de prémios. Posteriormente, numa segunda fase, através de uma candidatura ao Fundo Ambiental, o objetivo é alargar a campanha aos restantes 66 municípios integrados na área de atuação da AdVT.

Que benefícios trará a campanha para o Ambiente e para as comunidades locais?

Pretende-se despertar junto das Comunidades locais uma Cidadania Ambiental Participativa, sensibilizando-a para a importância dos seus atos quotidianos na preservação do Ambiente, assumindo a intervenção pessoal e organizacional como um fator decisivo. Também o público escolar terá um papel fundamental, quer sejam as Escolas profissionais que formam profissionais da área do turismo e restauração quer os mais novos na divulgação da mensagem às famílias. Através de conselhos simples e diretos, pretendemos que a mensagem passe e chegue a todos.

Esperamos também que esta mudança de comportamentos se traduza numa melhoria significativa da qualidade de esgoto rececionado nas ETAR operadas pela AdVT, facilitando o seu tratamento para que a devolução ao meio ambiente das águas residuais seja feita ainda com maior qualidade.



Notícias relacionadas

Comentários estão fechados.