Estudo sobre alterações climáticas divulgado antes que Trump proíba

“Abundam as evidências de alterações climáticas. Do topo da atmosfera até às profundezas dos oceanos. Milhares de estudos produzidos por dezenas de milhares de cientistas de todo o mundo documentaram alterações nas temperaturas de todas as superfícies, degelo, redução nos glaciares, subida no nível dos oceanos. As evidencias demonstram que a actividade humana, especialmente as emissões de gases com efeitos de estufa, são as principais responsáveis pelas alterações climáticas mais recentes.”

Tudo isto escrito assim, preto no branco, está num novo e muito pormenorizado relatório com 543 páginas, compilado por cientistas de 13 agências federais norte-americanas diferentes, incluindo a Environmental Protection Agency e a National Oceanic and Atmospheric Administration, que agora temem que a actual administração de Donald Trump não aprove o estudo. E, sem essa luz verde, o estudo nunca verá a luz do dia.

Para os cientistas, que obviamente acreditam nas alterações climáticas ao contrário do Presidente, “nada do que aqui está escrito é surpreendente para quem está envolvido de alguma maneira nestes problemas, mas é capaz de ser chocante para quem acredita que o aquecimento global é apenas um problema para o futuro”, tal como escreveu no Twitter Gavin Schmidt, director do Goddard Institute for Space Studies da NASA,

O New York Times teve acesso a um esboço desse estudo, que publicou na segunda feira passada, onde também se pode ler que “a temperatura pode aumentar até 2 graus celsius ao longo deste século”, e que “mesmo que as emissões dos gases de efeito de estufa fossem reduzidos imediatamente a zero, as temperaturas continuariam a aumentar, cerca de 0,3 graus celsius, ao longo do presente século”. Mais: “é extremamente provável que mais de metade do aumento médio da temperatura desde 1951 tenha sido causado por influência humana”.

O receio dos cientistas é fundado, tal como noticiamos hoje, a administração e os seus funcionários mais zelosos não só não acreditam nas Alterações como têm procurado censurar essa informação dos sites do governo. Imagine-se do “estudo mais completo alguma vez elaborado sobre o tema”, como lhe chamou Katharine Hayhoe, uma das cientistas envolvidas na sua elaboração. E todas as 13 agências e departamentos que participaram no estudo terão de dar o seu ok final.

Foto: manifestantes contra Scott Pruitt director da agência ambiental dos EUA e um negacionista das alterações climáticas / Wiki Commons

Deixar uma resposta

Patrocinadores

css.php