Português Horta Osório diz que antigos gestores do Lloyd’s têm de devolver bónus

O banco britânico Lloyd’s, presidido por António Horta Osório, vai pedir a devolução de parte dos exuberantes bónus recebidos pela antiga equipa de gestão, liderada por Eric Daniels, para que estes passem a reflectir a provisão de €3,8 mil milhões (R$ 8,6 mil milhões) realizada em 2011 ara cobrir os custos de seguros de protecção de crédito vendidos irregularmente a clientes do banco.

Segundo a imprensa, o antigo CEO Eric Daniels terá de devolver 40% dos €1,7 milhões (R$ 3,8 milhões) recebidos como prémio de desempenho relativo a 2010. Outros 12 gestores terão de fazer acertos entre os 5 e os 25% de bónus recebidos, consoante os casos.

Caso esta notícia se confirme, o Lloyd’s será o primeiro banco, desde a crise económica de 2008, a impor acertos retroactivos aos prémios pagos aos seus gestores.

Recorde-se que o próprio Horta Osório já havia declinado receber o seu prémio anual de mais de €2 milhões (R$ 4,5 milhões). Segundo o executivo, o seu recente afastamento por motivos médicos teve um impacto negativo para os accionistas, pelo que o prémio não seria justificável.

“Como director, considero que o meu direito ao bónus deveria reflectir a evolução do banco, e também as dificuldades financeiras que muita gente está a atravessar. Reconheço, também, que a minha ausência teve um impacto dentro e fora do banco, incluindo junto dos accionistas. Por isso, decidi pedir ao conselho de administração que não me entregue o bónus pelo trabalho de 2011”, explicou então o Horta Osório.

Notícias relacionadas
Comentários
Loading...