Quercus entrega petição pelo fim da caça na Reserva Natural da Serra da Malcata

A Quercus entregou aos Ministros do Ambiente e da Agricultura uma petição com 5486 assinaturas para travar o regresso da caça à Reserva Natural da Serra da Malcata.

A associação ambiental tem vindo a contestar esta opção do tomada pelo Governo, através da Portaria n.º 19/2016 de 8 de Fevereiro, que revogou a Portaria n.º 874/93 de 14 de Agosto que proibia a caça na Reserva Natural da Serra da Malcata. A associação está contra esta decisão, pois defendem que a mesma pode colocar em causa a recuperação de várias espécies presa que se encontram a recuperar na zona, tais como o Corço, o Veado ou o Coelho, e ainda de espécies em perigo como o Lince, o Lobo ou o Abutre-preto.

Segundo a associação ambiental, a decisão do governo de voltar a permitir a caça na Serra da Malcata carece da devida fundamentação científica, não se conhecendo até à data nenhum estudo sobre as populações de espécies que possam vir a ser exploradas cinegeticamente. Esta opção também representa um aumento do risco para o Plano Nacional de Reintrodução do Lince-ibérico, através do qual estão a ser investidos milhões de euros, e que prevê que venham a ser libertados Linces nesta Área Protegida.

A Quercus esclarece assim que não é contra a actividade cinegética, mas que não encontra necessidade ou fundamentação científica que justifique a permissão de caça numa reserva natural, sobrepondo os interesses da caça aos da conservação da biodiversidade. A associação alerta ainda que o abate a tiro é uma das principais causas de morte não natural do lince-ibérico e do lobo-ibérico.

A petição agora entregue pela Quercus ao Presidente da República, aos Ministros do Ambiente e da Agricultura, ao Presidente do Instituto de Conservação da Natureza e das Florestas (ICNF) e a vários partidos, conta com 5486 assinaturas.

Foto: Ezequiel Martinez / Creative Commons 

Notícias relacionadas
Comentários
Loading...