Sustentabilidade ambiental é cada vez mais procurada, revela estudo da IBM



Mais de metade (51%) dos consumidores globais referem que a sustentabilidade ambiental é-lhes mais importante hoje, do que era há 12 meses, indica o mais recente estudo do IBM Institute for Business Value. O documento inclui insights de mais de 16.000 entrevistados de dez países (Brasil, Canadá, China, França, Alemanha, Índia, México, Espanha, Reino Unido e Estados Unidos), sobre as opiniões e as perspetivas mais recentes dos consumidores e trabalhadores acerca deste tema.

Seja na hora das compras, na hora de procurar emprego ou na hora de investir, esta característica começa a ganhar importância – e as empresas precisam de começar a quebrar barreiras, se pretendem responder a esta procura.

“Os consumidores indicaram que estão dispostos a comprometer recursos pessoais e a abdicar de comodidades para proteger o planeta, e estamos finalmente a ver as suas aspirações e ações a convergirem. Mas precisam que as empresas derrubem as barreiras persistentes que impedem os consumidores de fazerem as escolhas mais sustentáveis possíveis”, afirma Sheri Hinish, líder global de IBM Consulting Sustainability Services.

O relatório sugere que as intenções estão realmente a passar à ação. Em 2021, 51% dos consumidores disseram estar dispostos a pagar mais por uma marca ou produtos sustentáveis e, este ano, quase a mesma percentagem (49%) confirmou que realmente pagou mais — em média 59% a mais — por produtos rotulados como sustentáveis ou socialmente responsáveis. Mas as escolhas não se ficaram pelos bem materiais: 77% dos consumidores partilharam o desejo de fazer escolhas mais sustentáveis em casa, mas muitos consideram que as empresas poderiam incentivar esta mudança, nomeadamente, oferecendo descontos (43%), criando formas diferentes e mais acessíveis de participação (41%) e consciencializando para as escolhas disponíveis neste campo (39%).

No setor dos transportes, cerca de 1 em cada 3 consumidores diz que os fatores de impacto ambiental são agora mais importantes do que a conveniência, o custo e o conforto na compra de viagens. Aproximadamente 4 em cada 10 consumidores admitem viajar em carros elétricos privados pelo menos mensalmente, tendo inclusive diminuído ou deixado de utilizar carros pessoais a gasolina. Simultaneamente, quase metade de todos os viajantes planeiam aumentar a utilização de veículos elétricos no próximo ano.

Por outro lado, 2 em cada 3 inquiridos dizem estar mais dispostos a trabalhar para organizações consideradas ambientalmente sustentáveis – o que faz desta característica uma forma de atrair e reter talento. Em comparação, apenas 21% dos inquiridos considera os seus atuais empregadores como sustentáveis, o que pode traduzir-se num grande risco de saída.

Relativamente ao investimento, quase dois terços dos investidores privados vêem o risco climático e a sustentabilidade como fatores-chave que influenciarão o desempenho das suas carteiras. Este ano, 62% disseram que as suas carteiras agora refletem escolhas sustentáveis, e quase 1 em cada 4 fez um novo investimento na produção de energia renovável doméstica nos últimos 12 meses.

“Os consumidores estão à procura de empresas que sejam verdadeiros agentes de mudança, de modo a ajudá-los a fazer as escolhas mais sustentáveis possíveis. Ao abrir um caminho mais claro e acessível para um consumo responsável, os executivos podem fazer ainda mais para construir um futuro sustentável — para o planeta, para os seus clientes e para os seus negócios”, sublinha Sheri Hinish.



Notícias relacionadas

Comentários estão fechados.