O misterioso mundo das duras, mas frágeis, carapaças das tartarugas

É conhecida como a casa da tartaruga, mas é muito mais que isso.

Para uma tartaruga, a casa não é apenas onde está o coração. É onde também residem o cérebro, membros e orgãos.

De facto, um dos maiores mitos que ainda circulam sobre a casca de uma tartaruga é que é uma casa móvel – que pode ser trocada por outra.

A especialista em vida selvagem, Samantha Kennett, escreveu no blog do Nature Center, “a carapaça de uma tartaruga faz parte do seu corpo tanto quanto o esqueleto faz parte do nosso”.

A carapaça é como uma caixa torácica modificada na qual uma tartaruga pode recuar completamente para dentro em caso de problemas. (A menos que, infelizmente, seja uma tartaruga marinha, que há muito tempo perdeu a capacidade de retrair os seus membros.)

Isto significa que as tartarugas, assim como outros membros da ordem dos Testudines – incluindo tartarugas e cagados – precisam cuidar especialmente dessas conchas. É o único lar que eles têm.

Isto não quer dizer que a concha de uma tartaruga não seja uma espécie de traje invejável de armadura medieval. Esta casca está dividida em duas partes principais: a parte superior, chamada carapaça, e a parte inferior, o plastrão. E, como armaduras forjadas, essas peças são ligadas entre as partes do meio pela, apropriadamente, chamada ponte.

As partes resistentes da carapaça são placas individuais conhecidas como escuteiras, feitas da mesma proteína endurecida que as unhas: queratina.

Embora a armadura de uma tartaruga possa parecer o último grito em proteção de corpo inteiro, ela é enganosamente frágil. Os predadores podem ser afastados por ela. Mas a menor racha nesta armadura abre a porta para infecções.

“Como a concha é um osso vivo, qualquer punção pode levar a infecções bacterianas, virais e / ou fúngicas sistémicas”, explica Kathryn Dudeck, diretora de vida selvagem do Chattahoochee Nature Center, no blog. “Além disso, como os órgãos não estão numa posição fixa, mas alojados em uma fina membrana, os próprios órgãos podem ser danificados”.

Mesmo um pouco de tinta pode atrapalhar os processos essenciais que ocorrem na superfície da casca. Isto ocorre porque a casca, como a folha de uma planta, faz algumas coisas incríveis com a luz solar. Especificamente, absorve a luz UV e sintetiza a vitamina D necessária para fazer com que os ossos cresçam grandes e fortes. A tinta, ou qualquer coisa que oculte a concha pode resultar em conchas atrofiadas e deformadas.

De uma perspectiva evolutiva, a carapaça de uma tartaruga é uma coisa esplêndida – de uma linhagem que remonta a mais de 200 milhões de anos. Mas, na era moderna, é muito facilmente uma coisa fragmentada – vulnerável a tudo, de carros a pincéis errantes e a donos equivocados de animais de estimação.

É por isso que é ainda mais essencial parar de olhar para uma carapaça como uma armadura que pode ser consertada ou trocada completamente se for danificada.

Para a tartaruga é uma questão de vida e morte.

Notícias relacionadas
Comentários
Loading...