odezhda dlya sobak mylovelypet.ru magazin odezhdy dlya sobak, kupit osheynik anti lay mozhno tut - osheynik-anti-lay

Tag Archive | "Estados Unidos"

Os asilos, igrejas, escolas e prisões abandonadas dos Estados Unidos (com FOTOS)


Daniel Barter, fotógrafo britânico, dedica-se à exploração urbana, em especial à dos edifícios abandonados dos Estados Unidos. No trabalho mais recente, o fotógrafo apresenta uma série de fotografia de asilos, escolas e prisões abandonadas que, ainda assim, oferecem um vislumbre do que seria a vida nestas instituições na América do século XX.

Foi durante uma viagem aos estados do nordeste dos Estados Unidos que Barter teve oportunidade de explorar vários edifícios públicos abandonados, que permanecem intactos desde que foram encerrados. Além das instituições públicas, o fotógrafo teve ainda oportunidade de explorar várias igrejas e hotéis, onde ninguém perturba o pó há décadas.

Contudo, estas explorações tiveram a dose de perigo. A exploração urbana de edifícios encerrados pressupõe uma invasão de propriedade, que nos Estados Unidos é uma ofensa criminal. “Visitámos cinco estados e várias cidades importantes, desde Nova Iorque a Pittsburgh. Foi um pouco perigoso às vezes, tanto que nas áreas menos seguras o nosso guia andava com uma pistola”. Um dos espaços que Barter conseguiu visitar e fotografar foi a cela de Al Capone, numa penitenciária da Pensilvânia.

Publicado em ComunidadesComments (0)

Atum radioactivo descoberto na costa norte-americana


Se é apreciador de sushi, tenha cuidado. Investigadores do College of Earth, Ocean e Atmospheric Sciences, da universidade do Oregon, acabaram de descobrir radioactividade de Fukushima num atum que migrou do Japão para o noroeste do Pacífico, perto da costa norte-americana.

De acordo com os cientistas, a quantidade de radioactividade é insuficiente para causar dano à saúde humana mas, ainda assim, permite-nos perceber que a tragédia nuclear de Fukushima continua bem presente na biodiversidade, impactando a vida de milhões de seres vivos.

Os atuns migram do Japão para o noroeste Pacífico, consumindo peixes neste trajecto e permitindo que as toxinas destes peixes se alojem naqueles. Por isso, o atum é o peixe ideal para pesquisar a radiação.

De acordo com o cientista Jason Phillips, que coordena este estudo, não havia grandes suspeitas de níveis elevados de radioactividade nos atuns, o que acabou por ser verdade, mas é importante perceber quais os padrões de migração dos peixes afectados.

Os pesquisadores acrescentaram que o nível de radiação encontrado naqueles peixes é insignificante e apenas uma pequena fracção da média da radiação à qual os humanos são expostos todos os dias. Ainda assim, eles queriam garantir que as pessoas estavam informadas da presença de radioactividade no que comem.

Por outro lado, as investigações no noroeste Pacífico vão continuar nas próximas semanas e meses, avançou o Oregon Sea Grant, da universidade homónima, que está responsável pelo projecto.

Foto:  TheAnimalDay.org / Creative Commons

Publicado em BiodiversidadeComments (1)

As últimas casas geminadas de Baltimore (com FOTOS)


Uma das peculiaridades arquitectónicas de certas cidades do leste costeiro dos Estados Unidos são as casas geminadas solitárias, como as de Baltimore.

Sozinhas, localizadas em alguns dos piores bairros das cidades, estas estruturas do século XIX estiveram outrora geminadas a outras casas, que constituíam quarteirões inteiros.

Com o tempo e as grandes alterações demográficas, estes edifícios acabaram por entrar em decadência e levaram à demolição de muitos quarteirões.

Ocasionalmente, durante o processo de demolição, uma ou outra destas casas é poupada e deixada à mercê do tempo e dos elementos. Veja algumas delas.

Publicado em Planeamento UrbanoComments (0)

Nova Iorque tem o primeiro café para gatos dos Estados Unidos (com FOTOS)


Depois da Europa e do Japão, a moda dos cafés para gatos chegou aos Estados Unidos. Abriu esta quinta-feira em Nova Iorque o primeiro café para gatos do país. Contudo, o espaço é um pop-up, já que vai estar apenas aberto entre 24 e 27 de Abril.

A iniciativa é da marca Purina, que pretende consciencializar a população norte-americana para a saúde dos gatos. O café, localizado no número 186 da Bowery, vai estar equipado com 16 gatos, que foram previamente escolhidos e doados por uma instituição local de acolhimento animal.

Durante os quatro dias em que o café vai operar, os visitantes vão poder brincar com os animais, ajudar na sua alimentação e ainda assistir a uma série de palestras que a Purina está a organizar sobre a saúde dos animais enquanto lancham ou bebem um café.

“Esperamos que o nosso café para gatos seja um pequeno passo para promover a saúde dos gatos”, indica Brian Williams, gestor de marca da Purina, cita a Mashable. “O nosso objectivo para o café para gatos é criar um ambiente rico e interactivo que estimule os donos de gatos a aprenderem mais sobre a saúde dos seus animais e as suas necessidades nutricionais”.

A moda dos cafés para gatos começou no Japão, onde agora existem muitos espaços destes. Posteriormente chegou à Europa, onde em 2012 e 2013 abriram cafés para gatos em Viena, Paris e Madrid e, mais recentemente, em Londres.

 

Publicado em BiodiversidadeComments (0)

Brincadeira pode levar cidade norte-americana a esvaziar reservatório com 143 milhões de litros de água


Numa altura em que a seca prolifera por vários estados norte-americanos, a cidade de Portland, no Oregon, está a estudar o esvaziamento de um reservatório com 143 milhões de litros de água.

Esta discussão é recorrente nos Estados Unidos, e o motivo é normalmente o mesmo: alguém urinou para o reservatório, que se encontra cheio de água tratada.

As câmaras registaram a acção do rapaz de 19 anos, ao início da madrugada de quarta-feira, 16 de Abril – há uma semana. Por causa da brincadeira, as autoridades estão a fazer testes de qualidade da água e uma das possibilidades é o esvaziamento do reservatório.

Em entrevista à agência Associated Press, o porta-voz da companhia local de água disse que a urina apresenta pouco risco, e que animais, rotineiramente, depositam resíduos no reservatório sem criar uma crise de saúde pública. A problema é que, agora, a empresa não quer servir água que foi deliberadamente contaminada.

“Posso estar errado sobre isso, mas a realidade é que os nossos clientes não vão receber água potável que foi contaminada por alguém que decidiu urinar no reservatório”, explicou David Shaff.

Se o descarte ocorrer, a água será drenada para o sistema de esgoto que, eventualmente, e após tratamento, será despejada no rio Columbia.

Veja aqui o vídeo, disponibilizado pela Associated Press.

Foto:  Tom Coppen / Creative Commons

Publicado em Recursos NaturaisComments (0)

Estudo liga poluição atmosférica a taxas mais altas de suicídio


A poluição atmosférica poderá implicar taxas mais altas de suicídio, segundo uma pesquisa da Universidade do Utah, coordenada por Amanda Bakian. O estudo avaliou mais de 1.500 suicídios daquela de Salt Lake County e concluiu que, quanto mais elevada é a poluição atmosférica, maiores são as probabilidades de alguém tentar suicidar-se.

Segundo Bakian e os seus colegas, as percentagens de tentar cometer suicídio naquela área subiram 20% nos três dias seguintes a elevados níveis de dióxido de nitrogénio – que é produzido quando os combustíveis fósseis são queimados e após o fertilizante ser aplicado nos campos.

De acordo com o Pacific Standard, o estudo concluiu ainda que os habitantes do Utah têm 5% de maiores probabilidades de se tentarem suicidar depois de respirarem três dias seguidos de ar com elevados níveis de partículas inaláveis.

Este não é o primeiro estudo, porém, que liga a poluição atmosférica às taxas de suicídio – pesquisadores da Coreia do Sul e Taiwan já o tinham feito. Mas é a primeira vez que esta questão é abordada nos Estados Unidos.

O relatório ainda não foi tornado público, mas os investigadores fizeram uma pequena apresentação na American Association of Suicidology, na última sexta-feira. Parece um argumento de um livro de Stephen King, mas, se calhar, deveríamos começar a pensar melhor nestas associações.

Foto:  aguscr / Creative Commons

Publicado em AmbienteComments (0)

Recomendações

Blogroll