Chama-se Catarina de Albuquerque e vai presidir, a partir de setembro, à parceria da ONU “Água e Saneamento para todos”. Catarina ambiciona mudar a realidade do mundo até 2030 e garantir que não existe ninguém à face da Terra sem acesso a água e saneamento de qualidade e com dignidade.

A responsável disse à Lusa que assume a presidência da parceria a 3 de setembro, naquele que será um dos mais altos cargos alguma vez ocupados por uma cidadã portuguesa na UNICEF.

Catarina Albuquerque já estava ligada à parceria das Nações Unidas “Sanitation and Water for All” desde 2014, onde era diretora executiva depois de ter sido a primeira relatora especial da ONU para a defesa do direito à água potável e ao saneamento. Pela sua mão, as Nações Unidas reconheceram a água e o saneamento como direitos universais.

Agora, assume o cargo de presidente do Conselho de Administração para o qual concorreram mais de 200 pessoas. A parceria também evoluiu nos últimos anos, com mais parceiros, países, doadores e o dobro do orçamento. É por isso que, afirmou, terá mais responsabilidades na iniciativa da ONU, criada para dar mais visibilidade política ao tema da água e saneamento e congregar vontades e compromissos mundiais.

“O principal desafio é traduzir estas boas vontades e estes compromissos num impacto real a nível nacional. A minha aposta é conseguir que em cada país que seja nosso parceiro haja alianças entre governos, doadores e privados”, para se “definirem políticas, para cada um saber o que quer”, o que vai fazer, como vai conseguir eliminar desigualdades e como vai chegar “às populações mais marginalizadas”, disse.