Dinamarca vai abater 15 milhões de visons devido a mutação do coronavírus

Doze pessoas já foram infetadas com a mutação mais preocupante do vírus, segundo o primeiro-ministro dinamarquês.

A Dinamarca, o maior produtor de pele de vison do mundo, planeia abater 15 milhões de visons depois de uma mutação do coronavírus ter-se espalhado para os humanos a partir dos animais, indicou o primeiro-ministro esta semana. Há temores de que a mutação possa “representar um risco para a eficácia” de futuras vacinas, disse Mette Frederiksen numa conferência de imprensa.

“Temos uma grande responsabilidade para com a nossa própria população, mas com a mutação que agora foi encontrada, temos uma responsabilidade ainda maior pelo resto do mundo”, indicou Frederiksen, relata a Reuters.

Doze pessoas já foram infectadas com a mutação do vírus, segundo o primeiro-ministro dinamarquês.

Existem entre 15 milhões a 17 milhões de visons na Dinamarca, de acordo com as autoridades dinamarquesas, e o abate já começou. Cerca de 100.000 animais são mortos por dia e esperam ter abatido todos dentro de um mês.

De acordo com os últimos relatórios da Administração Veterinária e Alimentar Dinamarquesa, 216 fazendas de visons foram afetadas pelo vírus até agora, com outras 21 fazendas sob observação.

Os surtos começaram no início deste ano na indústria de visons na Dinamarca, bem como na Holanda e em Espanha. De acordo com a imprensa holandesa em agosto, mais de um milhão de visons foram abatidos desde que o vírus foi descoberto.

A mutação do coronavírus está sob investigação. Os cientistas também tentam perceber como é que esta mutação passou dos visons para os humanos.

Notícias relacionadas
Comentários
Loading...