O comércio justo chegou às pedras preciosas e joalharia

A organização de desenvolvimento Solidaridad criou o primeiro selo de comércio justo para o sector da joalharia e pedras preciosas. O novo selo – Fairtrade & Fairmined – estará disponível no mercado holandês, que passará a ser o segundo europeu, depois do Reino Unido, a adoptar um selo que garante condições de trabalho segura, ambiental e socialmente correctas para os mais de 100 milhões de trabalhadores que dependem do sector – entre os quais, cerca de 20 milhões de mineiros.

Nos últimos anos, a Solidaridad tem trabalhado com mineiros, negociantes, joalheiros e organizações de comércio justo para desenvolver um quadro que regule a exploração de ouro. Desde 2006 que a ONG tem trabalhado com mineiros na América Latina para melhorar as suas práticas sociais e ambientais e ganhar acesso ao mercado europeu. Foi também iniciado um programa de mineração no Gana, Quénia, Uganda e Tanzânia, onde as condições de trabalho são mais dramáticas.

“O selo FT&FM é um passo importante para tornar todo o sector sustentável. O mercúrio tóxico é utilizado muitas vezes na exploração de ouro de pequena escala, e os trabalhadores estão a trabalhar em minas ilegais, recebendo pouco pelo seu trabalho”, explicou o director da Solidaridad, Nico Roozen.

A ONG está ainda a trabalhar com a Responsible Jewellery Council para tornar o comércio justo no sector da joalharia a regra – e não excepção.

Deixar uma resposta

Patrocinadores

css.php